Cadastre-se para receber informações do mandato e novidades sobre as nossas lutas!

Preenchendo o formulário acima você aceita receber comunicações da Fernanda Melchionna. Veja nossa política de privacidade. Este site é protegido pelo reCAPTCHA e, por isso, a política de privacidade e os termos de serviço do Google também se aplicam.

Seus dados foram enviados.

A luta só cresce!

Queremos o Genocida na Cadeia!

A CPI do Senado aprovou o relatório final da COVID e pediu o indiciamento do genocida por 9 crimes, mas sabemos que Aras e Lira são dois grandes garantidores da impunidade presidencial na era Bolsonaro. A pressão popular de fora para dentro tem que seguir com toda força por #ImpeachmentJá e #BolsonaroNaCadeia

Quem é Fernanda Melchionna?

Fernanda é deputada federal pelo PSOL do Rio Grande do Sul, vice-líder do PSOL e da Oposição na Câmara dos Deputados. Foi candidata pelo PSOL à Prefeitura de Porto Alegre nas eleições de 2020. Como deputada foi eleita a 11ª Melhor Deputada Federal pelo júri popular no Prêmio Congresso em Foco 2021, um dos prêmios mais tradicionais da imprensa brasileira. É natural de Alegrete (RS) e a primeira parlamentar bibliotecária da história da Câmara dos Deputados. Esteve como vereadora de Porto Alegre durante 10 anos. É feminista, ativista social, sendo referência na luta por transporte público de qualidade, moradia digna e popular, defesa do serviço público, defesa da leitura e educação de qualidade e combate aos privilégios dos ricos e dos políticos e a corrupção.

O que nós podemos conquistar juntas

Nosso mandato
no Rio Grande do Sul

Nosso mandato está em diversas cidades do Rio Grande do Sul. Quer saber onde encontrar nossa equipe e fazer parte dessa construção? Entre em contato com a gente!

Inscreva-se e receba o Caderno Antirracista

O Caderno é mais um da série de Educação Política, agora com foco na luta antirracista, construído junto a diversos colaboradores, apoiadores e militantes do movimento negro. Queremos construir um Brasil radicalmente diferente do atual, destruindo essa estrutura racista que oprime, superexplora e vitimiza nossa negritude. A leitura e discussão em torno dos textos propostos no caderno é uma sugestão de como podemos juntos avançar nesta (des)construção.

Últimas Notícias

DEU NA IMPRENSA