“Sempre lutei contra o privilégio dos políticos”

Fernanda sempre lutou contra os privilégios dos políticos. Em 2011, ao lado de Pedro Ruas, denunciou o aumento de mais de 70% do salário que os vereadores queriam se auto-conceder até que a Justiça barrasse esse absurdo. Felizmente o aumento foi derrotado na Câmara de Vereadores, na contramão do que ocorreu na Assembleia Legislativa e da Câmara Federal, em que os deputados reajustaram em mais de 60% dos seus salários!

 

Nunca mais houve aumento dos salários dos parlamentares. Desde então, nossos mandatos tem sido uma trincheira de luta e resistência a favor dos interesses do povo. Votamos contra o reajuste da inflação anual do salário dos vereadores. Desde 2016 doamos essa diferença do reajuste salarial dos vereadores todos os meses a diferentes entidades que atendem comunidades de vulnerabilidade econômica e social.

Notícia da Zero Hora sobre o reajuste salarial dos vereadores em 2016 e a posição do PSOL.

“Com o recrudescimento da crise fiscal no país, a vida dos trabalhadores tem piorado muito. A passagem do ônibus aumenta todo ano, a cesta básica também. Os governos têm parcelado o salário dos servidores públicos, reduzido postos de emprego e atacado duramente os direitos do povo, enquanto montantes escorrem pelos ralos da corrupção, milhões em impostos são sonegados e o privilégio dos políticos se multiplica. Isso é inadmissível”, aponta Fernanda Melchionna.

Confira a lista de entidades doadas em 2016:

MAIO: Associação Beneficente São Carlos

JUNHO: Associação Satélite Prontidão

JULHO: Museu das Ilhas

AGOSTO: Casa do Artista Riograndense

SETEMBRO: GAPA – Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS do RS

OUTUBRO: Cirandar – Centro de Integração de Redes Sociais e Culturais

NOVEMBRO: ACELB – Associação de Cegos Luis Braille

DEZEMBRO: Casa do Excepcional Santa Rita de Cássia

13º Salário: Associação Beneficente Santa Zita de Lucca


Confira a lista de entidades que doamos em 2017:

JANEIRO: Pequena Casa da Criança

FEVEREIRO: Instituto de Educação Infantil Princesa Isabel

MARÇO: Asilo Padre Cacique

MAIO: Instituto Cultural Conceito Arte

JUNHO: Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (ASCAT) e Associação do Voluntariado e da Solidariedade

JULHO: Emancipa e Sopão Solidário

AGOSTO: Movimento Nacional De Luta Pela Moradia (MNLM) e Associação Social e Cultural Vila Nova

SETEMBRO: Grupo Pela Livre Expressão (Nuan-ges) e Projeto Sopão

OUTUBRO: Associação Comunitária Vila Dique Resiste (ACVDR) e Câmara Rio-grandense do Livro

NOVEMBRO: Conselho Tutelar Micro-Região 8 e Centro de Pesquisa, Resgate e Preservação de Tradições Afrodescendentes (Africanamente)

DEZEMBRO: Associação Projeto Surfar e Instituto Cultural Cohab é só Rap

13º SALÁRIO: Movimento Juntos! e Centro ítalo Brasileiro de Assistência e Instrução as Migrações (Cibai)

Fernanda acredita que a indignação coletiva é capaz de transformar a realidade e que a política não é somente para os engravatados! “Se 1% da população controla 99% é preciso virar essa moeda e nos unirmos para enfrentar os de cima. Nós queremos ocupar Brasília para seguir sendo um catalisador dessa mudança: mobilizado contra os privilégios da casta política e apodrecida e de enfrentamento ao ajuste fiscal”, finaliza Fernanda.