Na tarde dessa segunda-feira (11), um dia depois do golpe cívico-militar na Bolívia, o plenário do Parlamento do Mercosul, cujos representantes dos países da Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Venezuela estiveram reunidos em Montevidéu, aprovaram por 45 votos a favor uma declaração de repúdio ao golpe na Bolívia. A Comissão de Cidadania e Direitos Humanos também aprovou uma moção de rechaço à violência e de repúdio ao golpe na Bolívia.

A deputada federal Fernanda Melchionna apontou a gravidade do que se passa na Bolívia. “A melhor contribuição que o Parlamento do Mercosul pode dar nesse momento é repudiar esse golpe de forças reacionárias na Bolívia! Defendemos direitos do povo boliviano e repudiamos a violência da extrema-direita, o racismo, a perseguição aos ativistas que defendem a soberania. Não vamos deixar que o passado ditatorial e que essa sanha autoritária se imponha e ataque a soberania dos povos da América Latina”.

Repúdio ao golpe de Estado na Bolívia

Hoje pela manhã apresentei no Parlamento do Mercosul, em Montevidéu, a Nota da Executiva Nacional do PSOL sobre o golpe de Estado na Bolívia, denunciando o caráter reacionário e com fortes componentes racistas do golpe, como comprovam os sucessivos ataques às sedes das organizações índigenas e a violência da extrema-direita contra ativistas favoráveis à soberania popular. O plenário do Parlasul também aprovou, por 45 votos favoráveis, uma moção de rechaço ao golpe, denunciando a onda de violência política extrema, com violações de direitos humanos, que se instaurou no país e que põe em perigo milhares de bolivianos.Todo apoio à resistência do povo boliviano!

Posted by Fernanda Melchionna on Monday, November 11, 2019

Parlamentares bolivianos, Edgard Mejia e Benita Diaz, também denunciam o golpe e a ataques de violência que acontece na Bolívia e pediram urgência e atenção da comunidade internacional.

Cadastre-se para receber informações do mandato e novidades sobre as nossas lutas!