Deputada Fernanda assina representação da deputada Luciana Genro ao Ministério Público de denúncia do evento transfóbico da ALRS

A deputada estadual Luciana Genro protocolou nesta quarta-feira (04/03) uma representação junto ao Ministério Público solicitando a investigação por eventual crime de ódio causado pela divulgação de um evento contra a população transexual na Assembleia Legislativa. Com o título original “Epidemia de Transgêneros – O que está ocorrendo com nossas crianças e adolescentes”, a palestra […]

4 mar 2020, 16:56 Tempo de leitura: 1 minuto, 22 segundos
Deputada Fernanda assina representação da deputada Luciana Genro ao Ministério Público de denúncia do evento transfóbico da ALRS

A deputada estadual Luciana Genro protocolou nesta quarta-feira (04/03) uma representação junto ao Ministério Público solicitando a investigação por eventual crime de ódio causado pela divulgação de um evento contra a população transexual na Assembleia Legislativa. Com o título original “Epidemia de Transgêneros – O que está ocorrendo com nossas crianças e adolescentes”, a palestra da psiquiatra Akemi Shiba está prevista para ocorrer no dia 18 de março, no Espaço Convergência, por iniciativa do deputado Eric Lins (DEM).

A peça é assinada pelas militantes trans Natasha Ferreira, primeira mulher trans a assumir um cargo na Assembleia, e Cleonice Araújo, presidenta do Conselho Estadual de Promoção dos Direitos LGBTs, além da deputada federal Fernanda Melchionna, do vereador Roberto Robaina e do ex-deputado Pedro Ruas, coordenador da Bancada do PSOL no Parlamento gaúcho.

NÃO VAMOS TOLERAR TRANSFOBIA NA ALRS!A população trans tem uma expectativa de vida de 35 anos no Brasil por causa da transfobia estrutural que o nosso país não combate. Em vez de se dedicar a combater o problema, um deputado do DEM estimula eventos transfóbicos na Assembleia Legislativa do RS. Saibam que transfobia é crime e que a única epidemia que existe é a de preconceito. Nosso mandato irá assinar em conjunto uma ação da deputada Luciana Genro ao Ministério Público pedindo a investigação do caso. Não vamos calar perante uma situação tão absurda. Todo nosso apoio aos movimentos sociais que se organizam em Porto Alegre para denunciar este absurdo!

Posted by Fernanda Melchionna on Tuesday, March 3, 2020

“É vergonhoso que esta Casa abra espaço para um evento de caráter transfóbico. A transexualidade deixou de ser considerada uma doença, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Não existe epidemia de transgêneros, mas sim uma epidemia de preconceito e discriminação, que condena a população trans à violência, à evasão escolar, ao abandono familiar e a ter uma expectativa de vida de 35 anos de idade”, disse Luciana Genro, que se pronunciou na tribuna da Assembleia sobre o caso.

A parlamentar lembrou, ainda, que o STF criminalizou a homofobia e a transfobia no Brasil em 2019, possibilitando que estas opressões sejam punidas pela lei que tipifica o crime de racismo.