Quem é Fernanda Melchionna

Quem é Fernanda Melchionna

  • Deputada federal pelo PSOL do Rio Grande do Sul (eleita com 114.302 votos e foi a mulher mais bem votada do Estado).
  • 18º lugar no Prêmio Congresso em Foco 2019 (voto do júri popular).
  • Primeira parlamentar bibliotecária da história da Câmara dos Deputados.
  • Vice-líder da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados.
  • Membro do Parlamento do Mercosul.
  • Membro da Comissão da Seguridade Social e Família.
  • Membro da Comissão do Meio Ambiente.

Qual a história de Fernanda?

Fernanda nasceu em Alegrete (RS) e é graduada em biblioteconomia pela UFRGS. Possui pós-graduação em História do Brasil pela FAPA/RS. É bancária licenciada do Banrisul, banco público do RS. É uma militante, feminista, socialista e internacionalista. Começou sua atuação no movimento estudantil, ainda no ensino médio nas lutas contra as privatizações neoliberais do final dos anos 90 ainda no governo FHC. Já no movimento estudantil universitário, muito atuante na defesa da educação pública, de qualidade e popular, tornou-se coordenadora do DCE da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Identificada com o feminismo e com a necessidade da organização partidária, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores, mas logo deixou o partido quando expulsaram parlamentares como Luciana Genro, Babá, João Fontes e, na época, a senadora Heloísa Helena por votarem contra a Reforma da Previdência no primeiro ano de governo Lula (2003). No mesmo ano, Fernanda ajudou a construir o Partido Socialismo e Liberdade. Em 2008, a juventude do PSOL decidiu ter uma candidatura à vereança em Porto Alegre e Fernanda concorreu, sendo parte da primeira bancada do PSOL na Câmara de Vereadores da capital junto com Pedro Ruas. Em 2012, Fernanda concorreu à reeleição e recebeu 7.214 votos, sendo a mais votada entre as mulheres eleitas. Em 2016 foi a parlamentar mais votada da cidade, com mais de 14 mil votos. Como vereadora, permaneceu na Câmara Legislativa até 2018, quando assumiu o mandato na Câmara Federal em Brasília, após ser eleita Deputada Federal.

Como vereadora de Porto Alegre por três mandatos, foi uma das referências na luta pelo transporte público de qualidade, em defesa da moradia digna, pelos direitos das mulheres e da leitura e da educação de qualidade. Em Porto Alegre, Fernanda ajudou a impedir o aumento de 75% dos vereadores da capital em 2011 e doou para instituições de caridade o aumento dos salários de vereadora de 2016 e 2017. É uma das autoras da ação na Justiça que baixou as passagens de ônibus em 2013 e 2016.

  • 2009

    • Assume o primeiro mandato na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, formando, ao lado de Pedro Ruas, a primeira bancada do PSOL.
    • Discurso “Política não é para engravatados” em resposta à tentativa de vereadores regularem as vestes das parlamentares.
    • Propositora do Plano Municipal do Livro e da Leitura em Porto Alegre, com ações e metas de descentralização, ampliação do acesso à leitura, formação de mediadores e leitores.
    • Luta contra a corrupção e desvios de dinheiro público do governo Yeda Crusius.
  • 2010

    • Luta contra o aumento da passagem do transporte público em Porto Alegre.
    • Luta contra o reajuste no salário dos vereadores em índice superior ao aplicado ao salário mínimo.
    • Homenageada com o troféu Amigo do Livro da Câmara Riograndense do Livro pelo trabalho em defesa do livro e do direito do autor.
  • 2011

    • Participa das manifestações em solidariedade internacional ao Occupy Wall Street, manifestação popular que eclodiu nos EUA contra a crise econômica capitalista.
    • Junto com demais parlamentares do PSOL, ajudou a impedir o aumento de 75% do salário dos vereadores de Porto Alegre.
    • Luta contra o aumento da passagem em Porto Alegre.
    • Participação nas mobilizações contra a privatização da educação no Chile.
  • 2012

    • Assume o segundo mandato como vereadora de Porto Alegre.
    • Participação na Cúpula dos Povos, no Rio de Janeiro, uma resposta dos movimentos sociais à Rio+20.
    • Luta contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, e denúncia da destruição do rio Xingu e a remoção dos povos ribeirinhas e comunidades indígenas.
    • Marcha das vadias em Porto Alegre contra a violência de gênero e em defesa dos direitos das mulheres.
  • 2013

    • Participa nas Jornadas de Junho de 2013.
    • Conquista na Justiça, junto à forte mobilização popular, a redução da tarifa de transporte público em Porto Alegre.
    • Aprovação da Lei do Artista de Rua de Porto Alegre, da qual foi uma das impulsionadoras como vereadora.
  • 2014

    • Aprovação do Projeto que transformou 14 ocupações urbanas em Área de Interesse Social para construção de habitações populares, após luta ao lado do Conselho Regional de Moradia Popular, Instituto de Arquitetos do Brasil e movimentos sociais de luta por moradia digna.
    • Aprovação do projeto de lei, junto a Pedro Ruas, vereador à época, que alterou a Av. Castelo Branco para para Av. da Legalidade e da Democracia.
    • Luta por melhores condições de trabalho, reajustes salariais dignos e contra a retirada de direitos dos servidores municipais.
  • 2015

    • Autora do Mapa dos Direitos Humanos, do Direito à Cidade e da Segurança Pública de Porto Alegre 2015.
    • Luta por um Plano Municipal de Educação com inclusão do debate sobre identidade de gênero e sexualidade nas escolas.
  • 2016

    • Eleita a vereadora mais votada de Porto Alegre.
    • Uma das autoras da ação na Justiça que baixou as passagens de ônibus em 2016 em Porto Alegre.
  • 2017

    • Posse do terceiro mandato na Câmara de Vereadores em Porto Alegre.
    • Aprovou o projeto que criou o programa de combate ao assédio sexual contra as mulheres no transporte coletivo da capital gaúcha.
    • Participa da manifestação nacional em Brasília contra a Reforma da Previdência de Temer.
    • Luta em apoio à greve do funcionalismo público e contra o parcelamento de salários dos servidores proposta por Marchezan.
    • Mobilização em defesa do programa Adote um Escritor.
    • Criação do aplicativo “Fiscaliza Tu” de denúncia e fiscalização dos horários e condições do transporte público de Porto Alegre.
    • Conquista ação na justiça, ao lado de partidos da oposição, que derruba o decreto de Marchezan que acabava com a segunda passagem gratuita para todos em Porto Alegre.
  • 2018

    • Assume a Procuradoria da Mulher da Câmara Municipal de Porto Alegre.
    • Eleita Deputada Federal, sendo a mulher mais votada para a Câmara dos Deputados do RS.
  • 2019

    • Articulação internacional nos EUA para fortalecer a luta por justiça para Marielle Franco.
    • Posse do primeiro mandato como Deputada Federal, em Brasília.
    • Luta contra a Reforma da Previdência do governo Bolsonaro.
    • Luta junto à comunidade universitária no “Tsunami da Educação” contra os cortes de recursos das universidades federais e o programa “Future-se”.
    • 18º lugar, pelo voto do júri popular, no Prêmio Congresso em Foco 2019, um dos mais tradicionais prêmios da imprensa brasileira.
    • Denúncia, junto à bancada do PSOL, do Laranjal do ex-partido de Bolsonaro.
    • Na luta, ao lado de Luciana Genro, contra o pacote de morte de Eduardo Leite contra os servidores públicos.
    • Oficialmente escolhida pré-candidata do PSOL à Prefeitura de Porto Alegre.

2019: primeiro ano de Deputada Federal

O enfrentamento ao governo Bolsonaro não vai ser uma corrida de 100 metros, vai ser uma maratona. Mas é preciso cumprir essa maratona. E é possível vencer! Foi com bravura, coragem e unidade que resistimos e derrotamos o governo em muitos momentos em 2019. Que não nos falte coragem pra seguir! Confira nossas principais lutas no primeiro ano de mandato!

Acesse aqui

Cadastre-se para receber informações do mandato e novidades sobre as nossas lutas!

Vem ser PSOL!

Os tempos difíceis nos exigem muita capacidade de luta e organização! Vem ser PSOL e fortaleça a luta contra o governo Bolsonaro!

Quero me filiar