Na noite de ontem (10), em que foi aprovada em primeiro turno a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019) da Reforma da Previdência, a deputada Federal Fernanda Melchionna protestou contra a liberação de emendas parlamentares para compra de votos a favor do projeto do governo Bolsonaro.

Carregando um livro da Constituição Federal com ratos de plástico, Fernanda denunciou a política do balcão de negócios do governo, que foi declaradamente confessada pelo Ministro da Saúde na imprensa. A bancada do PSOL apontou que o governo Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade na liberação de emendas, exorbitando da liberação dos valores já determinados no orçamento.

No Diário Oficial de segunda-feira (8), o governo liberou mais de R$1 bilhão em emendas. Desse valor, R$444.513.894 não têm autorização legislativa. Na quarta-feira (10) mais R$ 177,9 milhões foram liberados através de duas emendas parlamentares. O valor de emendas liberadas de maneira irregular (sem autorização do Legislativo) totalizou R$ 622.430.516,00.

A política do ‘toma lá, dá cá’ garantiu a aprovação do primeiro turno da reforma da previdência por 379 a 131. Fernanda parafraseou Darcy Ribeiro, “hoje eu detestaria estar no lugar de quem me venceu. Mas não tem vitória definitiva e nem derrota permanente. Seguiremos lutando em defesa dos trabalhadores! A luta de classes seguirá sendo o motor da história”, finalizou.

"Eu não queria estar um minuto do lado das ratazanas de terno e gravata que rasgaram a Constituição na noite de hoje!”

"Eu não queria estar um minuto do lado das ratazanas de terno e gravata que rasgaram a Constituição na noite de hoje!”É apenas o primeiro turno da votação da Reforma da Previdência. O nosso voto é NÃO!

Posted by Fernanda Melchionna on Wednesday, July 10, 2019

Cadastre-se para receber informações do mandato e novidades sobre as nossas lutas!