Líder da Oposição na Câmara de Vereadores solicita convocação do atual Secretário da Fazenda para esclarecer a real situação financeira de Porto Alegre

A vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) entregou hoje o requerimento na Casa Diante da divergência de informações sobre a situação financeira do município, apresentado pelo atual Prefeito Marchezan Jr. e pela gestão anterior da Prefeitura, a vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) apresentou hoje (25) um requerimento à Câmara Municipal solicitando a convocação do atual Secretário Municipal da […]

25 jan 2017, 02:50 Tempo de leitura: 1 minuto, 29 segundos
Líder da Oposição na Câmara de Vereadores solicita convocação do atual Secretário da Fazenda para esclarecer a real situação financeira de Porto Alegre

Fonte:

A vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) entregou hoje o requerimento na Casa

Diante da divergência de informações sobre a situação financeira do município, apresentado pelo atual Prefeito Marchezan Jr. e pela gestão anterior da Prefeitura, a vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) apresentou hoje (25) um requerimento à Câmara Municipal solicitando a convocação do atual Secretário Municipal da Fazenda, Leonardo Busatto, visando o esclarecimento acerca das contas públicas da capital. No requerimento também foi realizado o convite ao ex-secretário da Fazenda, Eroni Numer, para contribuir com a discussão sobre a realidade financeira do município.

“Há uma inconsistência de informações que colocam em dúvida a tese de que Porto Alegre vive a pior crise financeira do Estado. A população precisa saber a verdade sobre as contas do município, pois o quadro alarmante nas finanças públicas tem sido usado como justificativa para ameaçar o investimento nas áreas sociais e o parcelamento do salário dos servidores. Não vamos embarcar nesse discurso que quer, na verdade, preparar o terreno para ampliar as terceirizações e impor a necessidade de privatizar os serviços públicos. Se é preciso reduzir os gastos públicos, que cortem os cargos em comissão, os recursos da publicidade e que se investigue os casos de corrupção na gestão pública para que o dinheiro retorne aos cofres municipais”.

Em coletiva de imprensa nessa quarta-feira (25), Marchezan Jr. afirmou que o Executivo deve pelo menos R$ 507 milhões em contas vencidas e que o déficit municipal é maior que o do Estado, além de apresentar dívidas contratadas pela prefeitura sem previsão de receitas que podem chegar a R$ 1,3 bilhão – quadro duramente contestado pelo ex-Prefeito Fortunati.