O projeto de Marchezan, que ataca a carreira, o salário e, consequentemente, prejudica a oferta do serviço público de qualidade à população gaúcha, está prestes a entrar em votação na próxima segunda-feira (25) na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre. Diante disso, estamos na luta e na resistência em defesa de um serviço público de qualidade para a o povo e dos direitos de quem trabalha.

Nosso mandato produziu uma planilha do Excel em que é possível simular as perdas na carreira do servidor, caso o projeto 02/19 seja aprovado.

O PLCE 02/19 apresenta uma série de ataques: extinção da gratificação adicional de 15 e 25%, transformação de avanços trienais de 5% em quinquenais de 3%; a gratificação por função será incorporada após 30 anos de exercício para homens e 25 anos para mulheres, na razão de 1/30 e 1/25, respectivamente por ano exercício.; e a contagem do regime especial de trabalho com incidência somente no básico do cargo e não sobre o conjunto da remuneração.

Neste pacote, a categoria poderá perder ao longo da carreira valores próximos a 40% de seus ganhos. Esta medida ataca o conjunto da cidade, pois é dirigida ao serviço público que atende os mais necessitados da população. Escolas, hospitais e outros serviços sofrerão uma inegável perda de qualidade no atendimento, seja pela precarização, seja pela dificuldade de contratação de novos servidores.

Nosso mandato sempre esteve, está e estará junto com a classe municipária nesta luta. Força, municipários! Chegou a hora de lutar! Só desta forma nossa vitória será possível!

Cadastre-se para receber informações do mandato e novidades sobre as nossas lutas!