Por uma nova política, Democracia Real Já!

Por Ramiro Furquim/Sul21

É frequente vermos as pessoas dizerem que não gostam de política, e entenderem este campo de disputa como algo que não tem a ver diretamente com sua vida. Em grande parte o povo tem razão em não se identificar com a política, pois os partidos tradicionais transformaram o processo político em um verdadeiro balcão de negócios. Corrupção, negociatas, alianças sem princípios e sem programa, prioridade para os ricos, privilégios dos políticos… No entanto, a política faz parte de nossas vidas naquilo que é mais básico. Desde o preço do feijão, até os juros do cartão de crédito, passando pelo posto de saúde ou mesmo o buraco da rua são decorrências de decisões políticas e ser um “analfabeto político” só ajuda a manter as coisas como estão e os mesmos mandando e desmandando, utilizando a máquina pública como se fosse propriedade sua.

Os representantes da velha política dizem que vivemos em uma democracia. Mas, se olharmos mais de perto, veremos que não é bem assim. Como é possível falar em igualdade quando raramente um corrupto é julgado ou preso, enquanto o povo pobre que mora nas comunidades é diariamente discriminado e tratado como bandido? Como é possível falar em democracia quando a grande maioria das decisões políticas são tomadas as portas fechadas sem nenhum tipo de transparência ou consulta à população? O que temos é uma democracia dos ricos, na qual o poder econômico define o poder de decisão.

Por isso, conectado com o movimento mundial em defesa de uma Democracia Real Já, nosso mandato buscou iniciativas que construam uma política diferente. Lutamos contra o aumento do salário dos políticos e combatemos a corrupção. Além disso, uma importante medida do nosso mandato foi o Projeto de Resolução que institui a Sugestão Legislativa (PR 021/11), permitindo que a população proponha diretamente os Projetos de Lei e obrigando a Câmara a ouvir os anseios populares, algo que dificilmente acontece. Aliás, só acontece quando a população mobilizada pressiona os políticos. O projeto está tramitando na Câmara Municipal e pode ser lido aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *