Catadores de recicláveis pedem mais valorização e reconhecimento

Alex Cardoso destacou a importância dos catadores de resíduos recicláveis

Alex Cardoso destacou a importância dos catadores de resíduos recicláveis

No período de Comunicações Temáticas da sessão ordinária realizada nesta quinta-feira (24/9), solicitado pela vereadora do PSOL Fernanda Melchionna, os vereadores debateram o tema da Coleta Seletiva Solidária. O representante da Equipe de Articulação Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Alex Cardoso, destacou a importância dos catadores de resíduos recicláveis para o município de Porto Alegre. “Em questões ambientais e sociais, sabemos que a reciclagem é de extrema importância. O trabalho realizado por catadores e catadoras é essencial e deve ser valorizado.” Segundo o representante, o município foi o pioneiro, em 1990, na implantação de coleta seletiva, trazendo à Porto Alegre o título de Cidade Mais Verde. Em 2010, foi instituída a lei que transformaria o trabalho de catadores e catadores de materiais recicláveis reconhecidos e valorizados.

O representante ressaltou ainda que, em relação a outros estados do Brasil, Porto Alegre não obtém avanços. “Em Uruguaiana, catadores e catadoras trabalhavam há 30 anos em um lixão em condições precárias. Depois de solicitado, foi criada uma parceria entre o Movimento de Catadores, junto à Prefeitura local e o Governo Estadual, onde esses trabalhadores foram presentados com um novo local de trabalho mais digno e adequado.” Ao destacar os problemas enfrentados por grande parte desses trabalhadores, Cardoso destacou: “Muitas destas pessoas trabalham o mês inteiro e ganham, em média, R$ 500 para sustentar uma casa com crianças.”

Segundo Alex, o principal problema enfrentado pela Equipe Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis é a falta de Unidades de Triagem especializadas e adequadas para que esses profissionais possam exercer seus trabalhos. “Há uma lei de exclusão que proíbe catadores de resíduos de utilizarem carroças ou carrinhos para depositar os materiais. Os catadores querem trazer a mudança e a valorização de um trabalho digno e importantíssimo.”

A representante do Ministério Público Estadual, Annelise Steigleder, falou sobre a inclusão dos catadores na sociedade. “Acredito que é de extrema importância a inserção de catadores e catadoras no meio em que vivemos. Eles fazem um trabalho essencial para o avanço da nossa Capital.” Annelise ressaltou que, ao examinar o Plano Diretor de Porto Alegre, no que se refere à riagem de Resíduos Sólidos, constatou que não inclui, nas zonas necessitadas, as atividades que promovem o controle desses resíduos.

Fernanda (PSOL) afirmou que é preciso mais políticas públicas em prol da coleta seletiva. “A ausência de uma política de valorização ambiental significa que muito material que poderia ser reciclado vai para o meio ambiente, poluindo-o”, disse. A vereadora ressaltou que Porto Alegre é pioneira em muitos temas, mas, no caso da coleta de lixo solidária, a cidade está deixando a desejar. Fernanda destacou que é preciso ouvir os recicladores para entender quais as suas demandas para, de alguma forma, poder ajudá-los a manterem ativo o seu trabalho nas ruas da Capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *